20 de fev de 2011

Veredicto Nº1: Primeiros Filmes (1895 - 1919)



por Luiz Santiago


Aos leitores

     Caros leitores, esse Veredicto nº1 é o resultado de quase um mês de conversas, centenas de e-mails enviados, discussões em Fórum e expectativas em torno do nosso tema elegível para fevereiro: Primeiros Filmes (1895 - 1919). O Júri de Cinéfilos do Cinebulição foi reunido para votar e indicar temas e realizadores do cinema, e eis aqui o produto de nosso primeiro trabalho. Esperamos que gostem do resultado.


Aos jurados

     Agradeço imensamente a vocês, que pesquisaram e assistiram a alguns filmes ainda não vistos para serem mais justos na votação da lista desse mês. Muitos de vocês descobriram filmes e diretores, assim como eu, através das indicações extras. É para isso que serve o Júri, para que bons cinéfilos, aqueles que trazem a pesquisa e a busca do “novo no cinema” possam ter instigadas suas dúvidas e cinefilia. Obrigado pela colaboração de todos e pela paciência. Esse Veredicto nº1 não seria possível sem vocês.


Sobre a publicação

     O modelo de publicação que eu segui foi o de classificação básica. Como a quantidade de indicados foi enorme e o número de listas recebidas também, fica impossível disponibilizar o voto individual de cada um, por isso disponibilizo os créditos a todo o Júri eleitor, que os leitores podem conferir clicando AQUIOutra medida que tomei para a publicação da lista além dos 10 classificados oficiais, foi fixar a seguinte condição para um indicado entrar na versão final: ter pelo menos 2 votos e chegar a pelo menos 10 pontos. Os filmes com apenas uma indicação e com pontuação inferior a 10, por motivos óbvios, não entraram para a classificação final.


LEIA A NOSSA ENTREVISTA DO MÊS: Entrevista #1



O VEREDICTO



1º Lugar (259 pontos)

O GABINETE DO DOUTOR CALIGARI

Das Kabinett des Doktor Caligari

Robert Wiene, 1919



2º Lugar (216 pontos)

VIAGEM À LUA

Le Voyage dans la Lune

Georges Méliès, 1902



3º Lugar (183 pontos)

O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO

The Birth of a Nation

D.W. Griffith, 1915



4º Lugar (181 pontos)

INTOLERÂNCIA

Intolerance

D.W. Griffith, 1916



5º Lugar (164 pontos)

LÍRIO PARTIDO

Broken Blossoms

D.W. Griffith, 1919



6º Lugar (159 pontos)

O GRANDE ROUBO DO TREM

The Great Train Robbery

Edwin S. Porter, 1903



7º Lugar (156 pontos)

VIDA DE CACHORRO

A Dog's Life

Charles Chaplin, 1918



8º Lugar (137 pontos)

A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO

L'arrivée d'un train à la Ciotat 

Louis e Auguste Lumière, 1895



9º Lugar (112 pontos)

OS VAMPIROS

Les Vampires 

Louis Feuillade, 1915



10º Lugar (99 pontos)

CARLITOS NAS TRINCHEIRAS

Shoulder Arms 

Charles Chaplin, 1918




OPINIÃO DOS JURADOS


Sobre Lírio Partido: Há algo profundamente tocante no olhar perdido de Lilian Gish, superlativa como nunca, sentada no chão, consciente da sua própria mortalidade à medida que os passos secos do seu brutal pai avançam na sua direção. Em Broken Blossoms D.W. Griffith afastou-se do espirito megalômano que imperou no inicio da sua obra e filmou o filme que marcaria o tom do cinema dramático de Hollywood para a posteridade. Uma bela história, grandes performances individuais, uma mise en scéne cuidada ao detalhe e um final dramático capaz de raptar para sempre o coração da audiência. Com Broken Blossoms o cinema moderno americano pode finalmente começar!

Miguel Lourenço Pereira


Sobre A Chegada do Trem à EstaçãoA Chegada do Trem à Estação é um mini filme, simples e nos dias de hoje poderia ser feito por qualquer criança. Hoje, mas não em 1895. O cinema engatinhava, aliás, estava germinando nas traquitanas dos engenheiros Lumière. Quem ama cinema ama esse filme. Ama porque a partir dessa chegada do trem, criou-se uma paixão, uma arte e uma vida para muitos

Vitor Stefano


Sobre Os Vampiros: Difícil é encontrar quem não se encante terminantemente por esta aula imortal de Cinema ministrada pelo pioneiro Louis Feuillade! Cada segundo das quase 7 horas deste brilhante filme é permeado de humor, de crítica social, de poesia, de primor técnico, de surpresas, de vanguarda, de tudo o que se possa esperar de qualquer produto cultural que mereça o estatuto de “arte”. Sem contar que temos Musidora roubando as cenas, roubando os objetos, roubando dinheiro, roubando identidades, roubando até mesmo a sua própria vida numa trajetória personalística icônica, num dos filmes mais geniais e ousadamente perfeitos de toda a História do Cinema. Por que eu gostei deste filme? Na mais tímida e imediatista das hipóteses responsivas possíveis, ouso dizer: porque o vi (em todos os sentidos imagináveis para o termo)!

Wesley PC>




11º Lugar (97 pontos)

O MARAVILHOSO MÁGICO DE OZ

The Wonderful Wizard of Oz

Otis Turner 

1910




12º Lugar (84 pontos)

INFERNO

L'Inferno

Francesco Bertolini, Adolfo Padovan, Giuseppe de Liguoro 

1910



13º Lugar (70 pontos)

DREAM OF A RAREBIT FIEND

Edwin S. Porter 

1906






14º Lugar (55 pontos)

AS ARANHAS

Die Spinnen

Fritz Lang 

1919




15º Lugar (49 pontos)

EU ACUSO!

J'Accuse!

Abel Gance 

1919




16º Lugar (47 pontos)

MADAME DUBARRY

Ernst Lubitsch 

1919






17º Lugar (45 pontos)

CORRIDA DE AUTOMÓVEIS PARA MENINOS

Kid Auto Races At Venice

Henry Lehrman 

1914



18º Lugar (38 pontos)

O FORA-DA-LEI E SUA MULHER / OS PROSCRITOS

Berg -Ejvind Och Hans Hustru

Victor Sjöström 

1917



19º Lugar (37 pontos)

CABIRIA

Giovanni Pastrone 

1914






20º Lugar (33 pontos)

MARIDOS CEGOS

Blind Husbands

Erich von Stroheim 

1918




OPINIÃO DO JURADO


Sobre O Maravilhoso Mágico de Oz Para quem está acostumado com a versão da MGM, de 1939, certamente vai estranhar uma série de coisas que fazem o filme de Otis Turner ser mais engraçado do que pretendia. Essa pequena adaptação do livro de L. Frank Baum conta com toda a mágica do cinema do início do século. A falta de recursos técnicos avançados não impediu que fossem feitas cenas como as do ciclone, ou das bruxas e outros seres flutuando na tela. Algumas sequências são inteiramente cômicas, e o curta tem ainda duas coreografias bem encantadoras. Essa pequena obra de Otis Turner é um desfile de esmero de produção artística, e uma ótima oportunidade para se conhecer outro Mágico de Oz, além do popular, e não menos genial criado por Victor Fleming.

* Filme já analisado no CINEBULIÇÃO. Para ler o texto completo clique AQUI.

Luiz Santiago


Sobre Dream of a Rarebit Fiend: Três sequências do curta merecem ainda ser comentadas. A primeira é quando vemos surgir, acima da cabeça da personagem principal, uma grande panela, e dela, sair três diabinhos que “batem” na cabeça da personagem, que faz caretas de dor o tempo inteiro. A segunda é quando vemos a cama girar violentamente no quarto, uma indicação das “perturbações alcoólicas e digestivas” do protagonista. A terceira é quando a própria cama “pula” pela janela e sobrevoa a cidade. Dream of a rarebit fiend é um incrível exemplar da engenhosidade técnica dos primeiros cineastas americanos, e um cômico exercício feito por quem entendia e ajudava a inventar o cinema.

* Filme já analisado no CINEBULIÇÃO. Para ler o texto completo clique AQUI.

Luiz Santiago



21º Lugar (30 pontos) 

O PROJETO DO ENGENHEIRO PRAIT

Proekt Inzhenera Prayta

Lev Kuleshov 

1918



22º Lugar (29 pontos) 

FRANKENSTEIN

J. Searle Dawley 

1910






23º Lugar (14 pontos) 

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Alice in Wonderland

Cecil M. Hepworth e Percy Stow 

1903




24º Lugar (12 pontos) 

RAPSÓDIA SATÂNICA

Satan's Rhapsody

Nino Oxilia 

1915




25º Lugar (10 pontos) 

HARAKIRI

Fritz Lang 

1915






FIM DO VEREDICTO Nº1


     Próximo Veredicto: Março/2011

     Lista temática: Westerns
     
     Lista de Diretores: Ingmar Bergman

     Data de Publicação: 20/03/2011

     Realização: Júri de Cinéfilos do Cinebulição

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger