11 de jan de 2011

Selo Ingmar Bergman



APRESENTAÇÃO

por Luiz Santiago


     A blogosfera nos reserva agradáveis surpresas. Conhecemos pessoas através de seus textos, entramos em contato para trocar ideias sobre interesses em comum, e um vínculo intelectual nasce.

     Dessa observação sobe troca de conhecimento temático entre blogs, o Nelson, do FILOCINÉTICA e eu, do CINEBULIÇÃO, nos unimos para criar um reconhecimento aos críticos e divulgadores da cultura cinematográfica. Nossa proposta, é premiar com o SELO INGMAR BERGMAN, bimestralmente, três blogs selecionados, que em nossa opinião e na opinião de nossos convidados para essa análise, trazem uma significativa contribuição para a crítica, reflexão ou divulgação da Sétima Arte.

     Os blogs que receberem o Selo como premiação precisam exibi-lo permanentemente em suas páginas, e devem fazer uma publicação com a imagem do selo indicando o recebimento, além de seguir e indicar os blogs CINEBULIÇÃO e FILOCINÉTICA na lista de parceiros – e o mesmo será feito pelos editores desses blogs em relação aos premiados.

     Aos leitores interessados em receber o prêmio, pedimos que escreva um comentário nesta página, e anexe o link do seu blog. Teremos um prazer enorme em considerá-lo para a próxima premiação.

     Para finalizar, convidamos dois estudiosos do cinema a fim de fazerem uma apresentação do selo que hora criamos. Segue abaixo a opinião deles.



O PENSAMENTO É UMA DÁDIVA

por Adriano de Oliveira
Coordenador do site Cine Revista e Crítico de Cinema (ACCIRS).


     O pensamento é uma dádiva. O pensamento é uma voz. O pensamento (agora também) é um prêmio. Os senhores Luiz e Nelson, agitadores do universo blogueiro da opinião sobre cinema através de seus belos textos, agora se unem para premiar, mesmo que simbolicamente, quem pensa e ama cinema (independentemente dessa ordem) no mundo dos blogs. O "selo Ingmar Bergman" está vindo para incentivar o pensamento opinativo cinematográfico e congraçar blogs, seus autores e seus visitantes. Como todo bom recurso para valorizar o pensamento, angariar mais leitores e interligar parceiros é sempre algo muito válido, desejo que o "selo Ingmar Bergman" atinja seus objetivos e tenha vida longa.



CINEMA É ARTE E AUDÁCIA 


por Sidnei Ferreira de Vares

Doutorando em Educação pela FEUSP
Mestre em Educação pela FEUSP
Professor de Estética no Curso de Filosofia do UniFAI


     O cinema constitui uma arte inestimável. Sobre isso não tenho qualquer dúvida. Conquanto dialogue com outras manifestações da arte, tais como a fotografia, o teatro e a música, o cinema consegue não só sintetizá-las, como também é capaz de recriar a experiência humana num nível absolutamente inovador. Como uma expressão relacionada aos avanços tecnológicos, o cinema se reinventa a cada guinada dos recursos audiovisuais, mantendo certa sintonia com os avanços da modernidade. Entretanto, algumas obras não envelhecem. Os “clássicos”, como geralmente denominamos, são aqueles filmes cuja originalidade não se esgota. E ainda que a ciência abra novas possibilidades para o universo cinematográfico, os “clássicos” perpassam gerações e não perdem seu valor. Mas o que define um clássico?  Penso que um clássico não é apenas um bom filme. Ele é muito mais do que isso. Um filme de boa qualidade geralmente reúne elementos que o projetam acima dos filmes comuns: o roteiro atraente, a atuação impecável dos atores, a boa iluminação e a direção eficiente, etc., são fatores essenciais para um bom resultado. Contudo, isso não garante que o filme venha a se tornar um clássico. Isto porque, o que chamamos de clássico, conta com algo a mais. Há certa química que o faz parecer um vinho: quanto mais conservado, melhor. Isso não significa que basta ser velho para ser um clássico. Há tantas velhacarias ruins como há péssimos filmes hoje em dia. O “conservado” a que me refiro, diz respeito à capacidade que o clássico tem de não perder sua essência e manter o diálogo sempre renovado com o espectador em que tempo for - demonstrando assim sua atualidade. Todavia, a linguagem fílmica tem pouca difusão num país como o Brasil. As discussões acerca da estética cinematográfica e suas relações com outras áreas do conhecimento ficam na maioria das vezes circunscritas a um grupo pequeno de pessoas (cinéfilos, críticos e especialistas). Nesse sentido, a iniciativa dos blogueiros cinéfilos Luiz Santiago (CINEBULIÇÃO) e Nelson Lopes Rodrigues (FILOCINÉTICA), constitui um avanço considerável. Ambos, num esforço bastante louvável, promovem por meio de seus blogs a oportunidade de se discutir cinema enquanto arte de fato. Utilizando aquilo que os meios tecnológicos e de comunicação proporcionam aos mais audazes, os dois jovens, o primeiro em São Paulo e o segundo na Bahia, têm se dedicado a escrever e a discutir cinema através de textos e análises de alta qualidade. Mas não é só. Agora, num esforço conjunto, os dois jovens cinéfilos, através do recém criado SELO INGMAR BERGMAN, decidiram premiar bimestralmente as três melhores páginas cujo interesse seja o cinema e a arte em geral.  Tudo isso com vistas em formar uma grande coalizão em prol da divulgação da sétima arte. Essa é indubitavelmente uma ação inovadora e extremamente perspicaz, não só pelo fato de estar assentada no amor ao cinema, que justifica qualquer ação, mas principalmente por utilizar aquele que a meu ver é o espaço mais democrático no mundo contemporâneo, a saber, a WEB. Assim, não poderia ser outra a minha posição senão a de agradecer ao Luiz e ao Nelson por esse projeto tão bem arquitetado, que além de difundir a cultura fílmica se propõe a discutir suas múltiplas relações com a cultura. O SELO INGMAR BERGMAN é um bom desfecho para ano de 2010 e um ótimo anúncio para o de 2011. É CINEMA com todas as letras!

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger