25 de dez de 2011

Papai Noel Conquista os Marcianos / Santa Claus Conquers the Martians (1964)


por Luiz Santiago

          Em plena Guerra Fria, Papai Noel é sequestrado por uma nave espacial marciana a fim de ir à Marte entregar presentes às crianças – viciadas na TV Terra, principalmente no Canal Kid, aonde assistem com profunda tristeza, a infância alegre que existe no planeta vizinho. Papai Noel Conquista os Marcianos é um clássico dos Filmes B estadunidenses, mas passa longe de ser um dos melhores – nesta categoria temos o incrível Palhaços Assassinos do Espaço Sideral.

          Quando falamos de filmes B, a análise da obra deve ser direcionada às características desse gênero. Não se pode pedir perfeição em uma obra destinada a ser imperfeita. Pois bem, mesmo dentro desse patamar, o filme de Nicholas Webster é muito ruim, mas nem por isso perde o encanto inexplicável que esse tipo de produção tem sobre nós. É impossível querer largar o filme no meio, por pior que ele seja; do mesmo modo que é impossível não se divertir e rir com as trapalhadas de Voldar, o vilão marciano; e de Droppo, o futuro Papai Noel.

          Em um plano de análise mais crítico, o viés anticomunista do filme parece ser entregue de bandeja para o espectador: Marte é um planeta onde as pessoas tem o pensamento controlado por uma estrutura invisível (mas estatal); não é um planeta consumista; a tecnologia kitsch e a falta de liberdade de expressão estão evidentes, e muito de repente, o líder Kimar começa a ficar preocupado com a sua situação interna do planeta. As crianças estão tristes porque não recebem presentes, não brincam durante a infância, são treinadas a estudar desde cedo, etc. A chegada do Papai Noel à Marte simboliza o início do consumismo no planeta vermelho, a produção em massa de brinquedos, a alegria das crianças e despreocupação dos pais. Tudo isso contextualizado em um filme realizado em estúdio (o orçamento da película foi de duzentos mil dólares), com péssimos atores e uma música engraçadinha (Hooray for Santa Claus).


          Tim Burton, como se sabe, é um fã de tudo o que é filme B, Trash e Cult que se possa imaginar. E foi justamente esse filme que inspirou o diretor a fazer O Estranho Mundo de Jack (1993). Mesmo sendo uma das mais risíveis e piores películas já realizadas em solo americano, Papai Noel Conquista os Marcianos é um clássico B digno de ser visto, divulgado e discutido. Seu conteúdo anticomunista e as mensagens subliminares podem gerar muitas discussões em grupos cinéfilos, e o filme garante momentos de muita risada, com toda a tosqueira artística com que é realizado. Impossível ficar indiferente.


PAPAI NOEL CONQUISTA OS MARCIANOS (Santa Claus Conquers the Martians, EUA, 1964).
Direção: Nicholas Webster
Roteiro: Glenville Mareth e Paul L. Jacobson
Elenco: John Call, Leonard Hicks, Vincent Beck, Bill McCutcheon, Victor Stiles, Donna Conforti, Chris Month, Pia Zadora, Leila Martin, Charles Renn, James Cahill, Doris Rich.
Duração: 1h21min.

FILME INSATISFATÓRIO.

PARA FAZER O DOWNLOAD DO FILME CLIQUE AQUI.


Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger