29 de out de 2011

Labrador


por Luiz Santiago


     Um exemplar notável do cinema nórdico destaca-se nessa 35ª Mostra SP. Labrador é um drama sobre o confronto das realidades familiares. Quando o passado não é muito claro para todos, e as intenções não são declaradas, a família desmorona ao defrontar-se com as descobertas. Essa é a linha central do filme, muitíssimo bem apresentada pelo diretor Frederikke Aspöck.

     Labrador conta a história do jovem casal Stella e Oskar. Eles visitam o pai de Stella em uma solitária ilha, e desde o início, Oskar enfrenta a antipatia de Nathan, seu irônico sogro. O confronto entre os dois homens é um dos melhores momentos do filme. De ambos os lados, os interesses em relação a Stella se revelam aos poucos. Uma realidade sofrida para ambos também se apresenta, e percebemos que quando se trata de família e relacionamentos, nada é e nem parece tão fácil.

     A paisagem gélida é fotografada com perfeição. A bela trilha sonora é outro maravilhoso componente do filme, e nos guia pelo vento e pela neve defronte o mar. Cada um dos três personagens possui uma complexidade estrutural dramática admirável. O labrador de Nathan é o único "ponto móvel" do filme, ou seja, que se relaciona com todas as personagens, incondicionalmente. As indicações sobre o passado, e a atual situação de cada um, é estudada como em uma sessão de terapia psicanalítica. E se partirmos desse ponto, poderíamos nos apegar a essa tríade e desenrolar uma interessante versão psicanalítica para os conflitos familiares, do Complexo de Édipo à sublimação.

     A parte final da obra talvez conclua-se rápido demais, porém, em nada diminui ou anula o bom desenvolvimento obtido até o momento. A indicação de um ciclo vicioso familiar no final da película é uma sacada genial do diretor, e o fato de nenhuma palavra ser proferida após a “revelação” deixa tudo ainda melhor, pois suspende qualquer definição exata, legando à plateia o destino e as luzes frias das personagens.


* Filme visto na 35ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo


LABRADOR (Dinamarca, 2011).
Direção: Frederikke Aspöck
Elenco: Carsten Bjornlund, Jakob Eklund e Stephanie Leon.


FILME MUITO BOM. FORTEMENTE RECOMENDADO.

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger