1 de set de 2011

They Live By Night



por Nuno Reis

     O film noir é um estilo muito sui generis. O movimento teve uma época dourada e celebrizou atores como Peter Lorre, Humprey Bogart, Veronica Lake e Elisha Cook. Ainda hoje influencia milhares de cineastas. Alguns dos elementos chave do gênero na vertente clássica são: ser filmado a preto e branco para aumentar a taciturnidade; mostrar sempre o ponto de vista do criminoso, ignorando ou desprezando a polícia; mostrar a fraqueza dos criminosos através de violência excessiva e amigos infiéis; e finalmente uma mulher para adoçar a história e causar a desgraça do protagonista.

     Nicholas Ray, um dos maiores nomes do cinema, adapta o livro "Thieves Like Us" em "They Live By Night". Este filme é de 1949, precisamente a meio do período que ficou marcado pelo gênero.

     Aqui o "herói" é Bowie (Farley Granger), um jovem que foge da prisão junto com outros dois condenados. Os três bandidos são movidos por diferentes motivos. T-Dub é meticuloso e astuto. Quer dinheiro para tirar o irmão da prisão. Chickamaw é o elemento violento do grupo. Tem boa alma, mas perde o controlo demasiadas vezes. Bowie tinha 16 anos quando foi preso. Agora tem 23, e não sabe o que fazer. Deixa-se guiar pelos companheiros que estão obcecados com assaltos a bancos. Há duas outras personagens-chave, Mattie, cunhada de T-Dub, e Keechie (Cathy O'Donnell), sobrinha de Chickamaw.


     O trio assalta um banco. O dinheiro conseguido é suficiente para Bowie contratar um advogado que o consiga salvar da perpétua e começar uma vida nova, mas um acidente de carro tira-lhe essa hipótese. Novamente albergado em casa do irmão de Chickamaw, vai deixar o passado de crime para trás e começar uma nova vida. Keechie, também farta da sua situação e levemente apaixonada, deixa-se levar nessa aventura. Tal como o título sugere terão de viver de noite, mover-se pela calada e tentar ser felizes no entretanto. Os momentos juntos podem ser toda a eternidade ou apenas o próximo minuto.

     Filmado numa época em que o importante era saber contar histórias, "They Live By Night" é um filme muito atual. O seu resultado é conseguido pelo fenomenal desempenho dos protagonistas. Farley Granger tem uma performance arrebatadora, sendo ligeiramente ultrapassado por Cathy O'Donnell. As duas personagens de início parecem muito tímidas e jovens, quase que crianças inconscientes. Há entre eles alguns diálogos com tanto de surreal como de delicioso. A sua relação, a primeira conversa normal com alguém da sua própria idade, é quase como um pedido de aceitação ao mundo que desconhecem. Ele por ter estado preso, ela por estar numa prisão metafórica com o pai alcoólico. Depois de saírem da casca tornam-se rapidamente adultos sozinhos contra o mundo, e a relação do casal vai melhorando até criarem a cumplicidade esperada. São parceiros se não no crime, pelo menos na fuga. Esse desenvolvimento da personagem feito ao longo do filme é o que convence o espectador cada vez mais a ficar do lado deles. Pode ser film noir, pode ser sobre ladrões, mas é acima de tudo um grande romance entre pessoas adoráveis. O início alertava que teria um desfecho trágico, mas absolutamente ninguém quererá acreditar nisso. Um clássico a ver e rever por muitas vezes.


THEY LIVE BY NIGHT (EUA, 1949). 
Direção: Nicholas Ray
Elenco: Farley Granger, Cathy O'Donnel, Howard Da Silva, Jay C. Flippen, Helen Craig, Will Wright, William Phipps, Ian Wolfe, Harry Harvey, Marie Bryant, Will Lee, James Nolan


FILME MUITO BOM. FORTEMENTE RECOMENDADO.

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger