15 de abr de 2011

Lista nº6: Filmes Perturbadores

Cena de Ichi, the Killer - Takashi Miike, 2001



por Luiz Santiago


     Qualquer definição qualitativa de um filme é algo extremamente subjetivo e tem a ver com a concepção e contato do espectador com o cinema. Quando me propus a fazer essa Lista nº6, estabeleci uma regra básica: não pensar muito a respeito das escolhas, ou seja, elencar os dez primeiros filmes que eu acho mais perturbadores assim, de imediato. O resultado é suscetível a polêmicas e surpreendeu até a mim. Só pensei em IrreversívelRéquiem Para Um SonhoViolência GratuitaSalò e Aniversário Macabro bem depois de escrever a lista, numa análise mais pormenorizada. No entanto, penso que o resultado final dessa lista mostra muito daquilo que eu considero perturbador. Dito isso, espero que desfrutem a Lista. E bons filmes a todos.



#1º / ERASERHEAD

David Lynch

EUA, 1977

     Disparado o filme mais intrigante, medonho e perturbador que eu já vi. Lynch arma o seu circo excêntrico dentro de uma narrativa que é múltipla de interpretações, trazendo um bebê deformado, uma sociedade dominada por um vírus, mortes, esquizofrenia e estranha produção de bens. O filme é puro enigma, mas ao fim da última cena, é impossível não respirar fundo e agradecer aos céus por tudo aquilo ter sido apenas um filme. Obra-prima do cinema e dos filmes perturbadores.




#2º / OS PÁSSAROS
The Birds

Alfred Hitchcock

EUA, 1963

     Um horror lancinante dirigido pelo mestre do suspense. Absurdamente perturbador, esse filme é ao lado de PsicoseJanela Indiscreta, Festim Diabólico A Sombra de Uma Dúvida o meu preferido do diretor. Os Pássaros cresce em intensidade conforme o tempo avança. A ameaça não aparece abruptamente, aterradora e assassina. Como um simples evento do cotidiano, o primeiro ataque (já assustador) acontece, e depois as coisas se tornam incrivelmente medonhas. Um filme que deixa o espectador de olhos vidrados na tela, e termina de uma maneira perfeita. Outra obra-prima!




#3º / O ANTICRISTO
Antichrist

Lars Von Trier

Dinamarca, Alemanha, França, Suécia, Itália e Polônia, 2009

     Não é o meu filme preferido do Lars Von Trier, mas é tremendamente perturbador. Ainda tenho dúvidas se Dançando no Escuro é “pior”. Independente disso, tenho claramente as imagens desse filme na cabeça, sequências dignas do cinema trash, repugnantes, polêmicas. Um pesadelo cinematográfico sem par. Não é um primor de filme mas é muito perturbador.




#4º / O DESESPERO DE VERONIKA VOSS
Die Sehnsucht der Veronika Voss

Rainer Werner Fassbinder

Alemanha Ocidental, 1982

     Não sei se a interpretação inominável de Rosel Zech, o roteiro esplêndido de Fassbinder, ou a música perfeita de Peer Raben, mas esse filme me encanta e amedronta tremendamente. Um dos meus preferidos do mestre do Cinema Novo Alemão, trabalha de uma maneira social e muito crítica a questão da dependência química através da exploração das pessoas pelo seu vício. O filme é de tirar o fôlego. Além de perfeito esteticamente, é um filme muito, muito perturbador.




#5º / A CABINE
La Cabina

Antonio Mercero

Espanha, 1972

     Um curta-metragem produzido para a TV espanhola capaz de deixar qualquer espectador sem fôlego. A terrível história de um homem que fica preso em uma cabine telefônica e não consegue sair parece pueril e insignificante em seus primeiros minutos. Aos poucos, a intensidade do horror aumenta a cada tentativa de saída. O admirável uso da câmera e a manipulação do drama a favor do medo são para ser aplaudidos de pé. Nas sequências finais, o medo, o suspense e o horror se instala. Impossível não se comover e tremer diante dessa obra-prima em curta-metragem.




#6º / O RITO
Riten

Ingmar Bergman

Suécia, 1969

     Para mim, muito mais que A Hora do LoboO RostoAtravés de Um Espelho ou Gritos e Sussurros, esse filme sai na frente no quesito “perturbação” dentro da filmografia de Bergman. Um filme claustrofóbico, intrigante, doentio, maravilhoso. A encenação do "rito final" e o seu resultado são massacrantes.




#7º / CEGA OBSESSÃO
Môjû

Yasuzo Masumura

Japão, 1969

     É impossível descrever esse filme. O que o diretor nos apresenta é uma mistura de arte, sadomasoquismo, psicopatia, e outros complexos psicológicos. Um filme aterrador, que não só apresenta um lado perturbador mas também trabalha com a sensibilidade do público, intensificando o seu tema central. Um dos meus filmes preferidos!




#8º / MONSTROS
Freaks

Tod Browning

EUA, 1932

     Além de considerar este o melhor filme de Tod Browning, minha reação toda vez que o vejo (e já foram oito vezes!) é um misto de medo, ódio, solidariedade e horror. Uma obra-prima absoluta do cinema norte americano dos anos 1930. Tendo diversas frentes narrativas, que vão da apresentação desses “monstros” como pessoas normais e o que na trama acontece depois (especialmente no final) é algo que até hoje ninguém conseguiu medir. Simplesmente perturbador.




#9º / REPULSA AO SEXO
Repulsion

Roman Polanski

UK, 1965

     Ao lado de A Faca na ÁguaO Bebê de Rosemary e Chinatown, esse filme é a melhor coisa que Polanski já dirigiu. Tudo é absolutamente perfeito: fotografia, atuação (Catherine Deneuve em absoluta entrega à personagem), direção, música. Impossível não ter uma adoração pelo diretor depois de assistir a esse tremendamente perturbador filme sobre sexo e perturbações psicológicas.




#10º / FARRAPO HUMANO
The Lost Weekend

Billy Wilder

EUA, 1945

     Mais uma das pérolas do Midas Billy Wilder. O vício (dessa vez o alcoolismo) é a base para o desenrolar da trama. As alucinações, a luta pela recuperação, a mensagem transmitida pela filme são muito perturbadoras, principalmente se considerarmos esse drama realista como sendo uma realidade para muitas pessoas.

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger