20 de mar de 2011

Veredicto Nº2: Western


por Luiz Santiago


Apresentação

     Além de ser o gênero mais antigo, o faroeste é também a única arte totalmente americana. Dos anos 20 ao início dos 60, sua popularidade consolidou o domínio de Hollywood sobre o mercado global de filmes.

     A tradição do faroeste ambienta-o historicamente em 1850-90, época da corrida do ouro na Califórnia e em Dakota, da Guerra Civil americana, da construção da ferrovia transcontinental, das lutas contra os índios, da expansão das fazendas de gado e da viagem dos colonos, fazendeiros e imigrantes rumo ao Oeste. Época também do quase-extermínio dos búfalos e das tribos indígenas. Alguns filmes remontam ao período colonial, outros chegaram a meados do século XX, e as locações costumam ser a oeste do rio Mississipi, ao norte do Rio Grande e ao sul até a fronteira com o México.

     O tema central é a civilização do agreste, domando-se a natureza, os marginais e os “selvagens” (em geral “peles-vermelhas”). São elementos icônicos os fortes e as grandes fazendas isoladas, cidades pequenas com um saloon, uma cadeia e uma rua – cenário do inevitável duelo entre herói e vilão. Os melhores exemplos, porém, são psicologicamente complexos, superando a luta de bem e mal e se aproximando da tragédia grega.

Ronald Bergan em Cinema.


O Veredicto em números

I – Para essa lista foram indicados um total de 78 filmes.

II – Na maioria das listas havia pelo menos dois western spaghetti.

III – Sergio Leone, John Ford e Anthony Mann foram os diretores mais indicados, com diversas alterações de pontuação.

IV – Lista dos filmes com pontuação inferior a 10:

9 PONTOS - Lágrimas do Céu e Banzé no Oeste.

8 PONTOS – A Face OcultaDuelo ao SolConspiração SilêncioMais Forte Que a VingançaDragões da Violência e O Cavaleiro Solitário.

7 PONTOS – Quatro Mulheres e um DestinoTrês EnterrosSabataO Vingador SilenciosoBlindman e Sukiyaki Western Django.

6 PONTOS – Desaparecidas e Lendas da Paixão.

5 PONTOS – Viva Zapata!

4 PONTOS – Quando Explode a Vingança

3 PONTOS – Pat Garret & Billy The KidPacto de JustiçaLegião Invencível e Os Filhos de Katie Elder.

2 PONTOS – O Homem do OesteA Face OcultaTombstoneMeu Nome é Ninguém e Hombre.



O VEREDICTO



1º Lugar (257 pontos)

ERA UMA VEZ NO OESTE

C'era Una Volta il West

Sergio Leone, 1968



2º Lugar (145 pontos)

TRÊS HOMENS EM CONFLITO

Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo

Sergio Leone, 1966



3º Lugar (141 pontos)

RASTROS DE ÓDIO

The Searchers

John Ford, 1956



4º Lugar (133 pontos)

OS IMPERDOÁVEIS

Unforgiven

Clint Eastwood, 1992



5º Lugar (101 pontos)

MEU ÓDIO SERÁ SUA HERANÇA

The Wild Bunch

Sam Peckinpah, 1969



6º Lugar (97 pontos)

O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA

The Man Who Shot Liberty Valance

John Ford, 1962



7º Lugar (90 pontos)

MATAR OU MORRER

High Noon

Fred Zinnemann, 1952



8º Lugar (85 pontos)

JOHNNY GUITAR

Nicholas Ray, 1954



9º Lugar (71 pontos)

BUTCH CASSIDY

Butch Cassidy and the Sundance Kid

George Roy Hill, 1969



10º Lugar (69 pontos)

DANÇA COM LOBOS

Dances With Wolfes

Kevin Kostner, 1990




OPINIÃO DOS JURADOS


Sobre Era Uma Vez no Oeste: 
Até parece que Sergio Leone quando filmava Era uma vez no Oeste já sabia que este, seria uma daquelas obras irretocáveis, imortais, e eternamente cultuada. Nada de exageros, este é o maior western de todos os tempos. É fusão perfeita de cinema, música, emoção e um montão de outras sensações que exercem fundamento absoluto tanto na arte como no entretenimento. Sem meias palavras, qualquer mortal quando precisa associar o nome "western" se esse filme não vier em primeiro lugar, certamente será o segundo. É o tipo de filme que vemos sem pressa, com calma, observando cada enquadramento, degustando cada quadro, pois Leone parece ter pensando em todos os segundos do filme, como se ele quisesse que observássemos tudo o que ele queria mostrar. O escolhi por que assim como muitos, quando penso num western, a primeira lembrança que me vem é desse filme. É Claudia Cardinale, é Henry Fonda, é a gaita do Bronson, é a música de (G) Ennio Morricone. Quem nunca se pegou cantarolando algumas das músicas desta trilha? 
Essa é daquelas obras em que não temos dúvida de que o universo conspirou para que ela fosse imortal, IMORTAL!

Marcelo DiColdfer

Sobre Os Imperdoáveis: 
Muito mais do que uma revisão ou retomada do western (menos enfeitada que Dança com Lobos), Os Imperdoáveis é uma homenagem e ao mesmo tempo um desvirtuamento do gênero. Eastwood aglutinou o máximo de referências estético-visuais, musicais e técnicas para realizar um filme que não é em nada pontuado por virtuosismo, espantos ou coisa que o valha. O filme é seco, amargo mesmo. A fraqueza (retomada em um excelente remake pelos irmãos Coen em Bravura Indômita, no ano passado), o ódio e as intrigas internas nos grupos justiceiros aparecem aqui desligadas daquele mundo histórico perdido no tempo, inalterável. As personagens tem virtudes, mas acima de tudo, medo do erro. O herói não é o macho pura e simplesmente, ele vê algo além das zonas erógenas femininas - e isso é um ótimo reflexo dos novos tempos do western. Atuações e figurinos são ótimos. Ângulos e planos, idem. Esse filme é definitivamente uma obra prima do cinema de Eastwood e um dos melhores "novos westerns".

Pedro Veblen

Sobre o gênero western
A minha paixão por westerns alimenta um acervo que não para de crescer. Tenho cerca de 250 filmes do gênero. O vício começou cedinho, menino, lendo Tex e assistindo com meu pai, na tevê, os clássicos vibrantes de Sérgio Leone. Anthony Mann é o mestre supremo. Vi E o Sangue Semeou a Terra e O Preço de um Homem mais de cinco vezes cada um. Infelizmente, na minha lista ficou de fora Raoul Walsh, Budd Boetticher, Sergio Leone, Sam Peckinpah, Henry King, Delmer Daves, o Jacques Tourneur de Paixão Selvagem e o Clint Eastwood de Os Inconquistáveis. Uma pena. Ford é um mestre, mas me irrita suas cenas recorrentes de humor e patriotismo. Do western spaghetti, só mesmo Leone, não me interesso nem mesmo pelos famosos O Dólar Furado ou Django.

Antonio Nahud Júnior



11º Lugar (63 pontos)

O TESOURO DE SIERRA MADRE

The Treasure of the Sierra Madre

John Huston

1948



12º Lugar (59 pontos)

OS BRUTOS TAMBÉM AMAM

Shane

George Stevens

1953



13º Lugar (57 pontos)

SETE HOMENS E UM DESTINO

The Magnificent Seven

John Sturges

1960



14º Lugar (54 pontos)

RIO VERMELHO

Red River

Howard Hawks e Arthur Rosson

1948



15º Lugar (53 pontos)

CONSCIÊNCIAS MORTAS

The Ox-Bow Incident

William A. Wellman

1943



16º Lugar (51 pontos)

WINCHESTER '73

Anthony Mann

1950





17º Lugar (50 pontos)

PAIXÃO DOS FORTES

My Darling Clementine

John Ford

1946



18º Lugar (48 pontos)

RIO GRANDE

John Ford

1950





19º Lugar (45 pontos)

EL TOPO

Alejandro Jodorowsky

1970





20º Lugar (42 pontos)

BRAVURA INDÔMITA

True Grit 

Joel e Ethan Coen

2010




OPINIÃO DOS JURADOS


Sobre Paixão dos Fortes “ – Tu já estiveste apaixonado?

- Não, durante toda a minha vida eu fui garçom”...
Uma pergunta simples e uma resposta direta seriam suficientes para que este excelente faroeste entrasse para o panteão dos melhores filmes de todos os tempos, mas John Ford não se contenta com o suficiente: John Ford reescreve a História! E, para ele, História tem H maiúsculo e Henry Fonda no elenco. História tem a ver com um homem que ama uma moça, mas precisa defender a honra de sua família. História tem a ver com o ímpeto de um velho ator em declamar sonetos shakesepeareanos numa taverna repleta de bêbados defensores do progresso. História tem a ver com o próprio John Ford. Por isso, Paixão dos Fortes é mais do que História! Obra-prima!
Wesley PC>

Sobre Bravura Indômita (2010): Os Coen fazem um bom trabalho sem revisionismo, empregando o máximo de sua ironia e modo no tratamento da morte e suspense para levar a cabo essa refilmagem. Mas eu pensei que gostaria mais do resultado. Exceto a atuação principal, vi todas as atuações girarem em a caricatura e a forçosa exposição de sotaques e trejeitos do meio-oeste. O roteiro, no entanto, mostra-se uma ótima adaptação, bem como a excelente fotografia com destaque para as cenas noturnas e das angulares em panorâmicas, principalmente as que são realizadas no momento decisivo de um tiro. Bravura Indômita é um filme objetivo, simples, que não se perde em tramas paralelas. É o que é e acabou. No entanto, a fluidez obtida pelos irmãos em Onde os Fracos não tem Vez não retorna aqui. Em alguns momentos, o filme se torna até truncado, mas depois se desembaraça e segue seu caminho. As sequências finais são de uma revelação imprevisível. A corrida notura do cavalo é algo que me deixou extasiado, preso à cadeira do Belas Artes quase vazio, onde eu assistia à sessão dessa boa obra do western contemporâneo, mas que não revela o máximo que a dupla de realizadores pode dar, especialmente no que se refere à direção de atores.

Luiz Santiago



21º Lugar (35 pontos)

O ASSASSINATO DE JESSE JAMES PELO COVARDE ROBERT FORD

The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford

Andrew Dominik, 2007




22º Lugar (31 pontos)

NO TEMPO DAS DILIGÊNCIAS

Stagecoach 

John Ford

1939




23º Lugar (30 pontos)

POR UM PUNHADO DE DÓLARES A MAIS

Per Qualche Dollaro in Più 

Sergio Leone

1965




24º Lugar (28 pontos)

O RIO DAS ALMAS PERDIDAS

River of No Return 

Otto Preminger

1954




25º Lugar (27 pontos)

ONDE COMEÇA O INFERNO

Rio Bravo 

Howard Hawks

1959




FIM DO VEREDICTO Nº2


     Próximo Veredicto: Abril/2011

     Data de Publicação: 30/04/2011

     Relização: Júri de Cinéfilos do Cinebulição

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger