27 de jul de 2011

Espelho Mágico



por Luiz Santiago


     Espelho Mágico (2005) é mais uma das lindas e estranhas empreitadas barrocas de Manoel de Oliveira. O filme traz a fé como elemento gerador do argumento fílmico central, e a partir dele, o fanatismo encontra lugar e se propaga, gerando situações que beiram o surreal e a comédia. Manoel de Oliveira visita os recônditos da fé cristã, e o “espelho mágico” do título é sustentado por essa base sobrenatural. Ver-se frente à santidade, estar diante de Maria Mãe de Jesus, e querer ter contato com os santos, pode parecer produto de uma mente sandia, mas nesse filme, vemos dada uma nova dimensão à “loucura do fanatismo religioso” e à crença nos santos em Deus.

     Algo mais a que se deve observar é a música-tema da obra, o incrível poema sinfônico Danse Macabre, de Camille Saint-Saëns. A música abre e fecha o filme, e a mensagem dada é a de que a morte ronda o homem, e também sua fé e sua visão de si mesmo. Em meio a esse poço de adoração ao invisível, há os incrédulos, aqueles que se aproveitam da fé dos outros para fraudarem-lhes.

Cena de abertura do filme.

     Produto de um grande cineasta, Espelho Mágico vai muito além da má recepção da crítica. É um filme sensível e provocante, cheio de idas e vindas, cheio de fulgor, um filme que atravessa diversas mortes simbólicas: a do corpo, da alma, da moral, e da fé. Ao contrário do que um certo crítico brasileiro disse (crítico a quem tenho abissal antipatia, principalmente após ler esse texto: “E não me venham com Manoel de Oliveira que sempre foi ruim, e continua do mesmo jeito, só que veneravelmente vivo.”), Manoel de Oliveira é sim, um grande cineasta, e se não temos em Espelho Mágico uma obra-prima, temos um maravilhoso exemplar de sua gigantesca filmografia, que além de questionar o divino e discutir a morte, traz para quem assiste uma profunda reflexão sobre o que é sagrado e o que se fabrica como sagrado. Espelho Mágico é sim um filme que deve ser visto.


ESPELHO MÁGICO (Portugal, 2005).
Direção: Manoel de Oliveira
Elenco: Leonor Silveira, Ricardo Trêpa, Luís Miguel Cintra, Leonor Baldaque, Glória de Matos, Isabel Ruth, Marisa Paredes, Michel Piccoli, Lima Duarte, Maestro Atalaya.


FILME MUITO BOM. FORTEMENTE RECOMENDADO.

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger