20 de ago de 2010

P.S. Eu te Amo


OU

Em certos casos, o amor vai além da vida



por Beatriz Pellegrino Blanquez


    Seres humanos possuem sentimentos. Alguns bons, outros ruins, mas são sentimentos. O mundo possui pessoas boas e ruins, mas são pessoas. Altas, magras, gordas, baixas... Pessoas! Milhares. E de repente aparece apenas uma em nossas vidas que faz com que não precisemos de mais nenhuma. Apenas uma pessoa. Uma, em milhares, que se destaca, e desperta na gente sentimentos de uma só vez. Amor, saudade, tristeza, raiva, carinho... Mas não deixam nunca, de ser a pessoa mais especial. Aquela que em muitas, surgiu para nós e mudou tudo. Aquela que nos desperta vontade de viver, de amar, gritar... Aquela verdadeira e que de alguma forma ficará em nossas vidas para sempre. Independente de aparência será sempre aquela pessoa pela qual temos, ou tivemos um dos maiores sentimentos: O amor.

   É esse tal sentimento tão forte que Gerry, interpretado por Gerard Butler, o mesmo que interpretou o rei Leônidas em 300 de Esparta, causa em Holly, personagem de Hillary Swank, em Ps. Eu te amo, um filme dirigido por Richard LaGravenese. Gerry é um músico irlandês, que trabalha numa empresa que dirige limusines. Bonito e atraente Gerry possui todo aquele jeito galanteador que encanta a maioria das mulheres. Holly trabalha com apartamentos e deixa claro que odeia seu emprego. Nitidamente, percebe-se uma efetiva dependência da garota por Gerry.

   O filme começa com uma briga do casal, onde debatem assuntos constantes para uma vida de casados: Ter filhos, comprar um apartamento maior e definitivamente começarem a vida no matrimônio. Para Gerry isso já acontece desde quando se casaram, porém, Holly acha que ainda têm muito o que progredir. Logo no início do filme, Gerry morre, fazendo com que Holly fique desamparada. Uma das cenas mais tocantes é a de quando Holly liga incessantemente para o celular de Gerry para que caia na secretária eletrônica só para poder ouvir a voz do marido.  Mas, de maneira astuta, Gerry deixa um plano arquitetado: Prepara cartas para Holly que serão entregues no decorrer da trama, um dos mistérios que prendem a atenção do telespectador que descobrirá no final que quem entrega tais cartas é a própria mãe de Holly, que por sinal é uma personagem retratada de forma muito rude por discordar da ideia de Gerry de deixar cartas, pois acredita que isso só fará mal à sua filha. 



   O motivo de ter deixado tais cartas, era fazer com que Holly continuasse sua vida, enfrentando a morte do marido. Gerry conta com a ajuda de amigas da esposa para que seu plano desse certo. De pouco em pouco, ele faz com que Holly saia, se divirta e até visite a Irlanda, onde a mulher se lembrará de muitas coisas que passou com Gerry, incluindo o dia em que se conheceram. 

   Na viagem para a Irlanda, que Gerry deixou preparada para que fosse com as amigas, Holly descobre que elas estão seguindo suas vidas. Uma irá casar e a outra está grávida, o que faz com que ela se sinta parada por não estar vivendo como deveria. Lá, conhece William e até tem um caso com ele.

   Ao voltar para Nova Iorque, Holly chora nos braços da mãe, lamentando por ter posto tantas expectativas, tantos sonhos e planos numa pessoa que já não está mais ali. Aos poucos, as cartas vão parando de chegar. Quando Holly recebe a última, ela descobre que era sua mãe quem estava por trás daquilo tudo. A garota começa a levar sua vida devagar. Sai de seu emprego e começa a trabalhar como design de sapatos que é realmente algo que ela gosta de fazer. No fim do filme, ela mesma escreve uma carta para Gerry, deixando logo após sua assinatura escrito “Ps. Adivinha?” pois, em cada fim de carta, seu marido escrevia “Ps. Eu te amo” o que deu título ao drama.



    Com uma maravilhosa trilha sonora, tendo como tema The Pogues – Love you Till the End, é um filme bastante comovente, que leva o telespectador a se colocar no lugar da personagem e se emocionar bastante. Além disso, ainda é capaz de fazer com que se reflita sobre os valores que se deve dar às pessoas e tudo aquilo que se encontra ao nosso redor, pois, ninguém sabe quando chegará a hora de partir de cada um, e quando ela chegar, talvez possa ser tarde demais pra se dizer um “eu te amo”.



P.S. EU TE AMO (P.S. I Love you, EUA, 2007)
Direção: Richard LaGravenese
Elenco: Hilary Swank, Gerard Butler, Lisa Kudrow, Gina Gershon, James Marster, Harry Connick Jr.


FILME MUITO BOM. FORTEMENTE RECOMENDADO.

Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger