27 de out de 2010

A Casa de Cera



O massacre da cera

por Adriano de Oliveira


     "A Casa de Cera" foi descrito por vários críticos como um remake de"Museu de Cera", produção de 1953, estrelada pelo lendário Vincent Price e dirigida pelo húngaro André De Toth. Detalhe curioso é que essa obra de 53 já constituía em si uma refilmagem, a saber, de "Os Crimes do Museu"(1933), cujo diretor fora ninguém menos do que o também originário da Hungria, Michael Curtiz, o célebre realizador de "Casablanca", em dias ainda não tão venturosos que aqueles conduzindo Humphrey Bogart e Ingrid Bergman.

     Em verdade, "A Casa de Cera" guarda algumas semelhanças com a fita de Toth, mas está muito mais próxima de ser uma nova versão para um filme Bde 1979, intitulado "Armadilha para Turistas", realizado por David Schmoeller, tendo no elenco Chuck Connors e a futura bond girl Tanya Roberts (de "007 na Mira dos Assassinos"). Clássico do terror setentista,"Armadilha..." conta uma história de um grupo de viajantes que caem nas mãos de um escultor de estátuas de cera que se revela um serial killer, utilizando os cadáveres de suas vítimas para forjar suas macabras esculturas de formas humanas. Este mote é muito semelhante ao dessa produção atual, a qual se mostra bem melhor acabada que sua antecessora. O filme de Schmoeller se caracterizava pelo aspecto grotesco, capaz de provocar medo pelo tosco e pela crueza de algumas situações apresentadas. Necessário recordar também que tamanha impolidez provocava algumas vezes um humor involuntário, típico dos filmes trash não-esclarecidos.



     Já a nova versão prima justamente pelo cuidado com que é feita sua realização. O desenho de produção e a direção de arte são admiráveis, revelando surpreendente apuro com os cenários. O trabalho de direção cinematográfica, a cargo do estreante Jaume Collet-Serra, um catalão que até há pouco somente operava no vídeo publicitário e no clipe musical, é competente e enérgico, sem medos de mostrar sangue e de provocar assombro.

     Bem, o elenco não é lá essas coisas, mas faz o que se exige de um filme dessa espécie. Ninguém pede uma atuação teatral em um terror como este. A própria Paris Hilton, socialite que aqui banca a atriz, se não representa bem seu papel, ao menos protagoniza a cena mais chocante da fita, quando do violento assassinato de sua personagem Paige Edwards.

     Ao lado da refilmagem de "O Massacre da Serra Elétrica" gerada por Michael Bay, "A Casa de Cera" se revela como uma das boas produções de terror à antiga, gótico, dos recentes anos. O clímax da fita, com o derretimento do prédio que dá título ao filme, é uma das melhores homenagens aos filmes de antanho da produtora Hammer que se tem notícia.


Artigo originalmente publicado no Cine Revista.


A CASA DE CERA (House of Wax, 2005).
Direção: Jaume Collet-Serra.
Elenco: Elisha Cuthbert, Chad Michael Murray, Brian Van Holt, Paris Hilton, Jared Padalecki.


FILME BOM. RECOMENDAMOS ASSISTIR.


Twitter Delicious Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger